25/12/2017

Cultura

Estilo de Vida Tribal

Os Pashtuns são tradicionalmente pastores nômades (vaqueiros que se mudam frequentemente para encontrar pasto) com uma forte organização tribal. Cada tribo é dividida em clãs, sub-clãs e famílias patriarcais. Pashtuns constituem cerca de sessenta tribos de variados tamanhos e poder de influência.

Cada tribo consiste em parentes que descendem de um ancestral tribal masculino em comum. As genealogias tribais estabelecem direitos sucessórios, direitos tribais sobre a terra e o direito de falar no conselho tribal. Disputas sobre terras, mulheres e dano pessoal redundam em rixas sangrentas entre famílias e clãs, as quais também são herdadas, caso não sejam resolvidas pelos chefes dos clãs ou pelo conselho tribal.

Pashtunwali

Pashtunwali é o código moral de conduta dos Pashtuns. Alguns exemplos do código incluem: milmastia (um senso forte de hospitalidade), tureh (coragem), badal (vingança) e ghayrat (defesa da honra).

A sociedade Pashtun é largamente comunitária (orientada pela ética de grupo) e atribui grande importância a este código moral baseado em tradição oral. Pashtunwali define a forma pela qual os membros devem manter a tribo unida. Hospitalidade é importante, assim como a atuação do conselho tribal na resolução de conflitos e para fazer as decisões que regem o grupo. Outra parte do código de conduta é o nanawati, uma forma de resolver as diferenças por meio do grupo de anciãos.

Vida Familiar

O ancião mais velho detém completa autoridade sobre toda a família. Filhos casados vivem na casa do seu pai, ao invés de estabelecer o seu próprio lar. A família normalmente consiste em um homem, uma mulher, seus filhos solteiros e seus filhos casados com suas respectivas mulheres e filhos. Quando mulheres novas se casam, juntam-se à casa de seus maridos e transferem lealdade a sua família.

Economicamente, a família Pashtun é uma unidade singular. Membros ricos contribuem no suporte dos que são mais pobres. Os mais velhos dependem dos seus filhos para ter cuidado e sustento. A família toda divide as custas de manter uma criança longe na escola.

Mulheres e Purdah

As vidas das mulheres Pashtun variam entre as que residem em zonas rurais conservadoras, como o cinturão tribal, e as que vivem nos centros urbanos. No âmbito da vila, as mulheres líderes são chamadas qaryadar. Seus encargos podem incluir testemunhar em cerimonias femininas, mobilizando as mulheres para a prática de festivais religiosos; preparar os corpos de mulheres para funeral e outros serviços para mulheres falecidas. Elas também arranjam casamentos para os membros de sua família e arbitram conflitos para homens e mulheres. Apesar de que muitas mulheres Pashtun permanecem tribais e analfabetas, outras estudam e trabalham.

No Afeganistão, as décadas de guerra e o domínio do Talibã causaram muitas provações para as mulheres Pashtun, pois muitos dos seus direitos foram privados devido a uma interpretação rígida da lei islâmica. Reformas sociais modernas para as mulheres Pashtun começaram no início do século 20, quando a rainha Soraya Tarzi do Afeganistão fez reformas rápidas para melhorar a vida das mulheres no pais e sua posição na família. Ela foi a única mulher na lista de chefes de estado do Afeganistão.

Mulheres Pashtun hoje em dia variam entre donas de casa tradicionais que vivem isoladas do meio urbano a trabalhadoras urbanas das quais algumas buscam ou atingiram igualdade de condições com homens. Porém, devido a muitos obstáculos sociais, a taxa de alfabetização das mulheres permanece consideravelmente inferior a dos homens. Abuso contra a mulher é presente e cada vez mais denunciado por organizações de proteção dos direitos da mulher.

Muitas mulheres, no entanto, são felizes com as diferenças de funções e de posição entre homens e mulheres na cultura Pashtun. Esta separação, chamada Purdah, tem como objetivo proteger tanto o homem quanto a mulher de perigos e tentações. A crença fundamental para esta separação é de que o homem tem um forte desejo sexual, que é considerado quase irresistível em cada mulher. Por isso, homens e mulheres devem permanecer separados.

Em Purdah, o homem é rei sobre todos os lugares públicos e é livre para ir a bazares, casas de chá, negócios etc. Mulheres, por outro lado, são livres nos espaços privados da casa. Mulheres precisam sempre estar cobertas quando fora de casa, mas não necessitam usar véu ou burca dentro de casa. Elas são livres para visitar umas às outras e são bem-vindas em seu lar. Em contraste, homens somente tem permissão para entrar em um cômodo de visitas quando visitam seus amigos.

Educação e Trabalho

Educação no Afeganistão foi interrompida primeiramente pela invasão e ocupação russa (1978) e desde então por um contínuo estado de guerra civil. Tradicionalmente, o ensino era transmitido em institutos religiosos e madrassas (escolas religiosas). No fim dos anos 90 havia escolas para meninos e para meninas Pashtun em quase todas as vilas.

Pashtuns trabalham com uma variedade de ocupações em agricultura, negócios e comércio. Mulheres e crianças também tem funções dentro do trabalho agrícola. Muitos Pashtuns no Afeganistão são trabalhadores agrícolas pobres. As condições de trabalho para os Pashtuns no Paquistão são geralmente melhores do que no Afeganistão.